Agora são: .Horas e .Minutos - Bem vindo ao Blog Ciências Sempre!

terça-feira, 8 de abril de 2014

DOENÇAS DO SISTEMA EXCRETOR OU URINÁRIO


     Nosso estado geral de saúde depende muito do bom funcionamento dos rins, porque ele cabe a importante função de filtrar o plasma sanguíneo e eliminar resíduos e substâncias toxicas pela urina. As substâncias tóxicas são os produtos finais do metabolismo das proteínas: ureia e ácido úrico. Acrescente-se a essa função o papel dos rins no controle da quantidade de água no organismo.

     Entretanto, podem ocorrer doenças nos rins ou nas vias urinárias. As mais graves são as que afetam diretamente os rins, pois prejudicam o processo de filtração do sangue.

     As doenças mais comuns do sistema urinário são cistite, cálculos renais e nefrite.
     A cistite consiste em uma inflamação da bexiga, podendo atingir também a uretra. Decorre de uma infecção bacteriana. É mais frequente na mulher que no homem por causa da localização do óstio da uretra (mais próxima do ânus). Manifesta-se por sensação de dolorosa, ardor e dificuldade para urinar.
     A infecção da bexiga pode se espalhar para os ureteres e afetar os tecidos renais.

     Os cálculos renais podem aparecer em qualquer parte das vias urinarias e dos rins. Resultam da cristalização de determinados sais. A maioria dos cálculos renais é mista, apresentando composição variada de oxalato de cálcio, fosfato de cálcio, fosfato amoníaco-magnesiano e ácido úrico.
     Se o ureter é obstruído por um cálculo, a pelve renal, ou bacinete, pode inchar e danificar o tecido do rim. Em geral, o cálculo é expelido, originando intensas dores.
     As pessoas com tendência à formação de cálculos renais devem seguir uma dieta alimentar, porque eles surgem a partir de resíduos encontrados na urina. Evitando alimentos que contenham os sais que constituem os cálculos renais, essas pessoas poderão diminuir a sua formação. Leite e seus derivados, quando ingeridos em excesso, são exemplos de alimentos que podem facilitar o aparecimento de cálculos nos rins.
Instrumento ultrassônico mostrando um cálculo renal  

     Nefrite é uma inflamação aguda ou crônica de uma porção do néfron denominada glomérulo renal. A inflamação geralmente resulta de infecção das tonsilas ou da pele por certos tipos de bactérias do grupo dos estreptococos. Existem, no entanto, outras bactérias e infecções virais que podem estar associadas a uma nefrite aguda. Os sintomas incluem edema ou inchaço da face (principalmente das pálpebras) e dos tornozelos, urina castanho-escura graças à presença de glóbulos vermelhos, febre, dor de cabeça e cansaço.

HEMODIÁLISE

Esquema representativo do circuito de hemodiálise. O sangue é retirado do paciente por um acesso venoso e impulsionado por uma bomba até o filtro, sendo então devolvido ao paciente.
     A hemodiálise é um tratamento que consiste na remoção de líquido e substâncias tóxicas do sangue com o uso de um filtro (rim artificial), onde o sangue e o líquido de diálise estão separados por uma fina membrana. O líquido de diálise é preparado a partir da água habitualmente fornecida nas cidades, que necessita de tratamento adicional. Este é feito por sofisticados filtros existentes nos centros de diálise que purificam a água de substâncias toxicas e de agentes infecciosos.

     Para se ter ideia, durante uma sessão de diálise, o paciente é exposto a 120 litros de água e, em três anos, é exposto à quantidade de água consumida por um indivíduo normal durante toda a vida.

DOPING NOS ESPORTES

Esteroides anabolizantes
     É chamado de doping o uso de qualquer droga ou medicamento que possa aumentar o desempenho dos atletas durante uma competição.
     O uso de medicamentos por alguns atletas, além de trazerem riscos à saúde, é antiético, pois nesse caso não há igualdade de condições entre os atletas.  
     A pioneira nas punições de doping foi a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF). Em 1928, a associação baniu os primeiros atletas por doping.
     Atualmente, existe uma lista de medicamentos proibidos. Essas drogas são agrupadas nas seguintes classes:

·         Estimulantes – agem direto sobre o sistema nervoso central, fazendo o mesmo efeito da adrenalina. As substâncias são: pseudoefedrina, efedrina, anfetamina, cocaína e cafeína.
·         Analgésicos narcóticos – atuam no sistema nervoso central, diminuindo a sensação de dor. As substâncias são: morfina, codeína, propoxifeno, petidina.
·         Agentes anabólicos – agem aumentando o tamanho dos músculos.
·         Diuréticos – atuam aumentando a produção e a excreção de urina, causando a perda de peso. São usados também para o mascaramento de doping. As substâncias são: triantereno, hidroclorotiazinicos, furosemida.
·         Betabloqueadores – agem diminuindo a pressão arterial e ajudam a manter estáveis as mãos do atleta. São usados em competições como o tiro. As substâncias são: propanolol e atenol.
·         Hormônios peptídios e análogos – aumentam o volume e a potência dos músculos. As substâncias são: hormônio do crescimento, eritropoetina, corticotropina.

     Alguns cientistas apontam que, atualmente, existe a possibilidade de doping genérico. Através da alteração genética, pode-se, por exemplo, aumentar a produção de hormônios.
     Desde 1968 foram utilizados pela primeira vez os testes antidoping nos Jogos Olímpicos. Em 1999 foi fundada a World Anti-Doping Agency (Wada), para combate da prática do doping pelos atletas. Essa Agencia Mundial criou um código mundial antidoping (CMAD), que é utilizado pela maioria das Federações Internacionais e pelo Comitê Olímpico Internacional.  
     Qualquer dessas substâncias são absorvidas pelo sangue, chegam aos rins onde são filtrados. Durante as analises de urina dos laboratórios especializados, é possível comprovar o aparecimento de todos esses produtos proibidos.

Livro de ciências do 8º ano, Corpo Humano – Ciências Novo Pensar, Edição Renovada – Demétrio Gowdak e Eduardo Martins – Ed. FTD.
         
    



3 comentários:

Elimara Nogueira disse...

Muito bom. Gostei muito, é resumidamente muito prático de assimilar. Com tudo, espero que isso ajude muita gente, pois à mim, ajudou demais.
Obrigada e Parabéns!

Anônimo disse...

Oi , tenho uma duvida. Porque uma pessoa com incontinencia urinaria nao pode fazer a cirurgia porque usa platina na coluna?

Anônimo disse...

Quais são as doenças relacionadas ao sistema circulatório e urinário?

Quer saber mais sobre vulcões e sobre terremotos?

terremoto

Confira os posts sobre o assunto! Conheça causas, efeitos e entenda o que são essas manifestações da natureza!
krakatoa.jpg

Vulcões e terremotos

Os vulcões e terremotos representam as formas mais enérgicas e rápidas de manifestação dinâmica do planeta. Ocorrem tanto em áreas oceânicas como continentais, e são válvulas de escape que permitem o extravasamento repentino de energias acumuladas ao longo de anos, milhares ou milhões de anos. Esses eventos são sinais de que, no interior da Terra, longe dos nossos olhos e instrumentos de pesquisa, ocorrem fenômenos dinâmicos que liberam energia e se refletem na superfície, modificando-a. Por outro lado, também existem formas lentas de manifestação da dinâmica interna terrestre. As placas tectônicas, conforme a teoria da Tectônica de Placas, incluem continentes e partes de oceanos, que movem-se em mútua aproximação ou distanciamento, a velocidades medidas de alguns centímetros por ano, assim contribuindo para a incessante evolução do relevo e da distribuição dos continentes e oceanos na superfície terrestre.

Fonte: http://www.ibb.unesp.br/departamentos/Zoologia/material_didatico/prof_marcello/Geologia/Terra_Dinamica

Saiba mais, lendo os posts sobre vulcões e terremotos!

Abaixo, entenda a Escala Richter!

Escala Richter

Escala Richter

Vídeo sobre terremotos e vulcões